Meditação – como ela pode me ajudar

Todos já tivemos essa vontade pelo menos uma vez : “talvez deva tentar a meditação.”

Esse pensamento pode surgir por vários motivos: talvez a vida tenha se tornado muito estressante e já tentamos de tudo e nada parece funcionar bem; talvez nos sintamos o tempo todo irritados e à medida em que o mundo se torna mais e mais desafiador percebemos que nos tornamos ainda mais irritados; talvez tenhamos passado por situações muito difíceis e almejemos obter um pouco de paz e clareza; talvez tenhamos tido problemas de saúde ou talvez tenhamos grande interesse e admiração pelos ensinamentos de compaixão e sabedoria de Buda.

Todos já sentimos o apelo da meditação. Então, uma vez que temos algum interesse ou até já tenhamos tomado a decisão de meditar, precisamos saber exatamente os benefícios disso.

Qual será o resultado de investir tempo e energia na meditação, de frequentar aulas, cursos, fazer práticas no Centro e em casa e assim por diante?

Para responder esse tipo de pergunta precisamos reconhecer o que está acontecendo agora em nossas mentes do ponto de vista da nossa experiência de vida.

O ponto essencial é: nós estamos o tempo todo em companhia de nossas mentes, mas as conhecemos de fato? Temos consciência da felicidade que nossos estados mentais podem nos trazer e também da dor e sofrimento que podem causar?

Há uma grande desvantagem de não termos o hábito de meditar. É que se nunca olharmos para a mente, nunca nos daremos conta do quanto que ela está ocupada e distraída o tempo todo.

O mundo moderno nos incentiva a permitir que nossa mente seja estimulada através de tudo que a faz ficar ocupada e distraída. Vivemos numa cidade agitada e temos muitas ocupações. Quando saímos às ruas há sinais por todos os lados, há vitrines, anúncios, restaurantes, shoppings, pessoas, carros e nossa mente está sendo constantemente levada para fora, para esses objetos, atraída pela última novidade, faça isso, mude aquilo, seja bonito, rejuvenesça, coma isto, conheça tal lugar, compre isto, etc. É natural então nunca olharmos para dentro. Parece que a felicidade está lá fora, em algum lugar.

Adquirimos grande habilidade de nos ocupar o tempo todo. Somos capazes de dirigir, ouvir o rádio, falar no telefone e conversar com nosso filho e fazer planos ao mesmo tempo. Somos treinados nessa agitação. Fazemos tudo isso e antes mesmo de nossa mente começar a ficar um pouco entediada já estamos como loucos procurando pelo próximo estímulo. Ficamos então cada vez mais atarefados e distraídos, intimamente ligados a tudo isso mas totalmente desligados do mais importante, do que está acontecendo em nossas próprias mentes.

Essas distrações nos levam então a desenvolver um nível de insatisfação onde deixamos de ser capazes de nos sentir minimamente satisfeitos sequer por um minuto. Nunca somos capazes de sentir completa satisfação, sentar e relaxar, dormir e descansar, etc. Nunca sentimos: “agora não preciso mudar nada, pois estou satisfeito.”

Se não olharmos para nossa mente é exatamente assim passaremos nossos dias, distraídos, agitados, insatisfeitos, buscando e nunca encontrando paz. É óbvio que vamos ter conforto, riquezas, muita diversão, mas a pergunta é, temos satisfação, paz, felicidade, tranquilidade, conforto e riqueza interior?

Os ensinamentos do Budismo Moderno e as meditações que praticamos aqui no Centro Budista Kadampa Maitreya nos permitem ir exatamente na direção oposta. O Budismo e a meditação budista nos oferecem métodos para podermos experienciar nosso próprio potencial para a paz e gradualmente nos tornarmos pessoas pacíficas, serenas, desfrutando de uma vida feliz e significativa. Nesse sentido esses métodos são adequados para todas as pessoas do mundo moderno.

A meditação não só vai nos mostrar como nossa mente está agitada, mas também nos mostrará como podemos ser felizes controlando-a, ou seja, controlando essa agitação e reduzindo os estados mentais que a produzem e cultivando os estados mentais que nos tornam pessoas felizes, positivas, pacíficas.

Todos nós temos vidas muito agitadas e somos muito ocupados. Esse é o nosso mundo moderno. Temos famílias, filhos, amigos, trabalho, estudo, mas precisamos de uma maneira de experienciar esse conforto e paz interior mesmo tendo vidas agitadas e sendo pessoas tão ocupadas. E é exatamente isso que a meditação nos oferece. O treino da mente nos dá a oportunidade de pouco à pouco aprender a tirar essas “férias mentais” do estresse, da insatisfação e da infelicidade, nos dá essa força e energia mental que nos possibilitam ter vidas modernas, vidas exteriores agitadas, mas uma vida interior confortável, saudável, tudo isso ao mesmo tempo, sem que precisemos abandonar nossa família, nosso emprego, nossa aparência física, nossa comunidade.

Ao invés de reagir o tempo todo aos acontecimentos para depois nos perguntarmos “por que fiz isso, por que disse aquilo”, a meditação nos permite gradualmente criar esse espaço mental que nos permitirá responder ao mundo exterior da forma mais significativa e benéfica. Ganhamos paz, conforto e satisfação e podemos compartilhar isso com os outros, também.

Como diz o Fundador da Nova Tradição Kadampa, nosso querido Professor, Venerável Geshe Kelsang Gyatso, em seu livro Novo Manual de Meditação:

 

“Quando a turbulência dos pensamentos distrativos cede e nossa mente se acalma, uma felicidade e um contentamento profundos surgem naturalmente em nós. Essa sensação de contentamento e bem-estar nos ajuda a lidar com as agitações e dificuldades da vida diária.”

Compartilhe!

Deixe uma resposta